segunda-feira, 12 de maio de 2014

Tasca da Esquina em Lisboa

Na passada quinta feira, dia 8, na deslocação que fiz a Lisboa para ir cozinhar à Teleculinária, aproveitei e fui a alguns restaurantes que queria visitar. Entre eles a Tasca da Esquina, sem dúvida o melhor dos 3 que a fui nesta ida à capital.
O espaço é acolhedor, moderno, mas despretensioso. Entramos e deparamo-nos com um balcão. Ao fundo o chefe Hugo Nascimento a comandar magistralmente as suas "tropas".
Casa que serve petiscos, mas também tem menus de degustação, nos quais nos deixamos "na mão do chefe".
Pedimos o menu de degustação de 5 pratos e assim começou a sinfonia de sabores.
De entrada "Abóbora, laranja e coentros", que parvamente não fotografei. Básicamente é um creme de abóbora bem aveludado onde inesperadamente somos brindados com bocados de laranja fresca! Surprendente, no mínimo. Em conjunto com o creme é servida uma "Terrina de codorniz com compota de mirtilho e framboesa". Não sou amante de codorniz (aliás, comer passarinhos faz-me alguma confusão), mas a terrina estava saborosa e o toque dos frutos vermelhos equilibravam o prato.


 Seguiu-se "O nosso Braz". Este prato foi o que menos me agradou. A batata estava, efetivamente, muito boa e estaladiça. Mas, para o meu gosto o braz tinha demasiada cebola, tornado-o demasiado doce.
Prato de peixe. Para mim o herói da noite. "Espadarte, nabo e amendoim". O espadarte derretia-se na boca de tão magistralmente cozinhado. Um puré de nabo macio e saboroso. E o amendoim transformado numa especie de farofa que conferia um crocante delicioso ao prato. Harmonioso e perfeitamente equilibrado. (Este vou tentar replicar!)
Segue-se o prato de carne, "Rabo de boi, feijão mungo". O rabo de boi quando bem cozinhado torna-se tenro. Este além de saboroso estava, de facto, muito macio. Um molho espesso mas de sabor delicado cobria a carne, sem no entanto, mascarar o sabor da mesma. Gostei muito, muito.
Sobremesa, pedi farófias e o que se destaca logo é a apresentação. Uma sobremesa tão tradicional, contudo servida de forma curiosa dentro de um frasco. Cozinhadas na perfeição, muito leves e frescas.
Creme queimado, um creme denso mas cremoso. Gosto dos cremes assim, sem ser aguados, donde se tiram belas colheradas.
Em jeito de conclusão, gostei muito, preço ajustado à qualidade da refeição e do serviço, eficiente e simpático.
Os pratos bonitos e apelativos, mas especialmente saborosos.
Carta de vinhos não muito extensa, mas com variedade suficiente e preços adequados à casa. Servem, igualmente, vinho a copo.
Portanto, se quiserem boa comida, passar um tempo agradavél e conhecer uma boa cozinha cheia de talento e sabor aproveitem e passem na Tasca da Esquina.

Sem comentários:

Enviar um comentário